Universo de Mulher

Venha ficar para sempre conosco

Siga nossa Fan Page:

❤·.·´¯`·.·•❤•·.·´¯`·.·❤

entre no BLOG OFICIAL:

❤·.·´¯`·.·•❤•·.·´¯`·.·❤

VISITE TAMBÉM:
http://universodemulher.shutterfly.com/
o nosso site!

❤·.·´¯`·.·•❤•·.·´¯`·.·❤

Compulsão Alimentar - Parte II


A pessoa que sofre de compulsão alimentar periódica não come pela fome física, aliás, ela não sabe o que é sentir fome, porque quando come é por puro impulso. Durante os ataques alimentares, o
compulsivo alimentar chega a ingerir até dez mil calorias em uma única refeição,
tem preferência por guloseimas e se não tiver, come coisas estranhas, do tipo:
uma lata de leite condensado, feijão gelado com queijo, lasanha gelada e tudo
que estiver ao seu alcance. Depois de um ataque alimentar, muitas vezes vem o
arrependimento, a raiva, sentimentos que geram mais descontrole.
- A nossa querida Amiga
Carol, chegava a ingerir isso: comia arroz gelado, pão com leite condensado,
caixas inteiras de bombons, primeiro os que gostava, depois os que não gostava,
pois não fazia muita diferença, era para me entupir mesmo... não gosto de
frango, mas comia coxinha, 1 caixa de empanados sozinha, 1 pacote de pão de
queijo sozinha, 3-4 pães com margarina, queijo, presunto, doce de uva... era
fácil fácil, 1 panetone inteiro, 1 pote de sorvete inteiro, e assim
ia...
Estes episódios de descontrole alimentar têm um ciclo vicioso característico: Vontade
de comer algo - comer muito rápido, exageradamente e escondido até acabar a
comida - se empanturrar - arrepender - sentir raiva de si mesmo - se deprimir...
e assim ciclicamente.
Será que o compulsivo realmente come por falta de vergonha e desleixo, como muitas
pessoas pensam? Será que não existe nada por trás desta deformidade
corporal?
Há muita coisa envolvida. A compulsão alimentar e a obesidade mórbida são doenças muito
complexas porque têm um conjunto de fatores e complicadores que resultam na
doença. Além do hábito alimentar, fator genético e estilo de vida, têm alguns
fatores psicológicos e físicos.
No caso da compulsão alimentar periódica está claro que a pessoa não come por puro prazer, por que é desleixada, gorda e sem
vergonha. Ela tem uma doença, um desequilíbrio bioquímico dos neurotransmissores
(mensageiros químicos do impulso nervoso) responsáveis pelo controle da
saciedade. - Realmente, a gente parece um verdadeiro SACO
SEM FUNDO!
Quando os níveis de serotonina estão baixos, ocorrem a depressão e a tendência ao aumento
de peso. Pois a comida, principalmente os alimentos energéticos tipo chocolates,
doces, pães e massas, são estimulantes naturais de serotonina. Daí esses
rompantes de fome ou vontade de atacar a geladeira.
Na realidade, por trás deste comportamento compulsivo existe um problema psiquiátrico camuflado e uma dieta alimentar pobre
em nutrientes, facilitando os rompantes dos ataques alimentares. Com o
equilíbrio da serotonina e a mudança do hábito alimentar, a pessoa controla a
ingestão de doces e fica satisfeita com o que comeu
(saciedade).
E atenção! A compulsão alimentar pode aparecer com o mau
hábito alimentar durante as dietas radicais, fazendo com que o corpo crie um
mecanismo de estímulo natural, com a ingestão excessiva de comida para
equilibrar os níveis de serotonia. Isto acontece demais nas dietas
proibitivas.(Como eu sempre digo
nenhum extremo interessa, além de que este radicais implica em restritivas e não
se esqueçam em principio engordamos pelo que não comemos já que abolimos
nutrientes essenciais e então começam os descontroles, é um ciclo que não se
pode deixar começar, sair dele é tortuoso)
Após longos períodos de jejum também é comum ter um ataque compulsivo, como é o caso dos comedores
compulsivos noturnos, que não comem quase nada durante o dia, e à
noite o organismo tende compensar a dieta, comendo exageradamente no período
noturno. Muitos acordam para comer e ingerem mais de 50% por cento das calorias
diárias nas refeições noturnas.
Nos quadros de depressão pode haver um aumento de apetite principalmente por doces,
massas e frituras, que são ótimos estimulantes de serotonia e dopamina. Criando
uma dependência química com a comida, uma vez que ela equilibra os níveis
bioquímicos do cérebro. Então sob tensão psicológica a comida é uma boa muleta
para acalmar.
Gente! Isto é sério e se você achar que tem este problema ou alguém de sua família ou amigos sofre de compulsão alimentar, é
hora de tomar uma atitude. Não importa se está no
início ou se é muito sério, sempre é tempo de fazer algo que possa amenizar e
controlar o problema ao ponto de que possamos fazer escolhas na nossa
alimentação até chegarmos à cura.
Na parte III falarei sobre maneiras de lidar com a compulsão. Beijocas e SEJAM FELIZES!!!

Acreditem: NINGUÉM PRECISA CHEGAR A ISTO.